Próximos eventos

CURSO | DA MÚSICA À ARTE SONORA voltar

DA MÚSICA À ARTE SONORA 

PROFESSOR PAULO VIVACQUA

20 DE JUNHO TERÇA-FEIRA | 21 DE JUNHO QUARTA-FEIRA | 20:00 ÀS 21:30

INVESTIMENTO | R$100,00 
ESTUDANTES E PROFESSORES | R$50,00

Inscrições online ou no telefone 3202-8555, de segunda a sexta das 09 às 18 horas

1ª aula - Uma Breve História da Música

Formação do conceito de espacialidade na música ocidental. Polifonia (Idade Média, Renascimento). Construção e dissolução da forma musical no sistema tonal (Barroco, Clássico, Romantismo). Atonalismo (Expressionismo). Música concreta e eletroacústica.

2ª aula -  Arte Sonora

O som (e o silêncio) na relação com o espaço e contexto na arte contemporânea - novas abordagens. Intervenções públicas. Território e linguagem (som e sentido). 


Sobre Paulo Vivacqua:
Sua obra abrange instalações sonoras in situ de grandes dimensões - Residuu (5ª Bienal do Mercosul, Porto Alegre, 2005) e Sentinels (Sculpture Center,
Nova York, 2004) - e esculturas. 
O som, o objeto e o espaço circundante se fundem, sob a forma de um lugar que se desvela no tempo, como propiciador de possíveis narrativas ou estados. Entre 2001 e
2003 realizou Sound field, Escape e Radio polyphony.
Principais exposições individuais: Nympheas, Galeria Artur Fidalgo e Projeto Respiração, com Visita, Fundação Eva Klabin (2006); Sentinelas, Prêmio Arte Patrimônio, Palácio Gustavo Capanema (2008) e kms5n6j6jw6EHkuhuf7ytgEQg4jk46a45h, Galeria Laura Marsiaj (2011), Rio de Janeiro. Integrou Rumos Itaucultural; Prêmio Projéteis Funarte, Palácio Gustavo Capanema, Rio de Janeiro; Stereo desert, The Townhouse Gallery, Cairo; Brasil+Berlin, galeria Weisser Elefant, Berlim e MAC 10 Anos, MAC Niterói (2006).
Participou com a obra Deserto nas coletivas Equatorial rhythms, Museu Stenersen, Oslo e Futuro do presente, no Itaucultural, São Paulo, e com a obra Real imaginário, na coletiva Museu como lugar, Museu Imperial, Petrópolis (2007). Com Observatório auditivo integrou a 8ª Bienal do Mercosul (2011). Foi selecionado pela Bolsa Virtuose para desenvolver o projeto sobre "A instalação sonora", como artista residente na Apexart, Nova York (2001).