Coleção Oriental

A civilização chinesa, uma das mais antigas, produziu objetos que representam o grau do desenvolvimento cultural atingido por sua sociedade desde os tempos mais remotos. Muitos deles são objetos funerários, encontrados em túmulos e escavações, que contribuem para definir os períodos e determinar as procedências.

Durante décadas e em várias viagens, Eva Klabin reuniu importantes objetos da China, e também da Birmânia, do Camboja, da Índia, da Indonésia, do Japão, da Tailândia e do Tibet. Incluem-se nesse precioso acervo peças que vão da Idade do Bronze ao século 20, a maioria usada nas cerimônias de culto aos antepassados.

Da remota dinastia Shang (1557-1050 a.C.), caracterizada pelo uso do bronze, destacam-se dois cálices de vinho para libação e um vaso ritual tipo Kuei, para guarda de cereais, a mais antiga entre as peças chinesas reunidas pela colecionadora. Sinos, vasos rituais e um espelho, todos em bronze, representam a dinastia Chou (1049-220 a.C.).

Da dinastia Tang (618-907), notam-se objetos de terracota: estatuetas de guardiães de túmulos, de damas e dignatários da corte, de flautistas e de animais, por exemplo, o imponente cavalo de pata levantada ou o destaque da coleção, o Camelo com dama montada, peça que remonta à Rota da Seda e cuja figura feminina, de rosto rechonchudo, representa o padrão de beleza da época o tipo físico de uma imperatriz.

Da dinastia Ming (1368-1644), há esculturas de madeira, representando divindades budistas com tiaras, adereços e roupagens drapeadas os Bodhisattvas, a figura de um mandarim de cerâmica vitrificada, vasos de cores vivas como o "sangue de boi flambado" e os esmaltados em cloisonné.

Duas esculturas de porte se destacam na coleção: a figura de Kuan-In de madeira, da dinastia Song (907-960), divindade da compaixão e da misericórdia, e o Buda adorante de metal dourado, com as mãos erguidas e espalmadas, peça tailandesa do início do século 19.

Contam-se ainda objetos ornamentais de jade e vasos de fina cerâmica do período Q'ing (1644-1912).

Vários outros objetos de madeira e metal estatuetas de budas, divindades indianas, aves e peixes, rolos de pintura em seda sobre papel de arroz , e de cerâmica, porcelana e laca, completam a coleção que tem cerca de uma centena de peças, revelando o fascínio que a civilização e a arte oriental exerciam sobre a colecionadora. A coleção Oriental de Eva Klabin concentra-se na sala Chinesa, mas distribui-se, também, por quase todos os outros ambientes da casa.