Coleção Francesa

A Coleção Francesa reunida por Eva Klabin inclui pinturas, esculturas, mobiliário e artes decorativas, que vão da Idade Média ao século 20.

Dentre as pinturas é importante ressaltar a presença da Escola de Fontainebleau com o Retrato masculino, atribuído a François Clouet, pintor da corte de Francisco I da França; do século 18, Apolo e Daphne, pintura mitológica de Louis Silvestre; do século 19, duas pequenas paisagens de Nicolas Antoine Taunay, da fase italiana do artista integrante da Missão Artística Francesa, que chegou ao Brasil em 1816. Representando a Escola Impressionista, a paisagem invernal Efeito de neve em Eragny - 1895, de Camille Pissarro, foi uma das últimas aquisições de Eva Klabin, escolhida por ela mesma em Paris, na galeria Alex Maguy. Cabeça de mulher, de Marie Laurencin, pintora da Escola de Paris, é um trabalho do século 20. Representando o rococó, tendência de grande parte dos artistas do século 18, é de Fragonard, o desenho Le petit gourmand.

No que toca às esculturas, Cabeça de nobre, fragmento de estatuária de pedra, representando uma nobre coroada, é trabalho medieval, assim como a Grande dame, figura de madeira policromada representando uma castelã assentada em cadeira ricamente decorada com os motivos do estilo. Do período renascentista, e entalhados em madeira, são o relevo Dois anjos segurando um cálice, o busto de Madona e a representação dos Apóstolos André e Judas Tadeu. Dois Anjos de madeira, do período de Luís XIV integram a coleção de esculturas, que se completa com duas pequenas estatuetas medievais de marfim e dois pequenos faunos de terracota, do período rococó, atribuídos ao escultor Clodion.

Quanto ao mobiliário, há peças do período gótico tardio no hall principal e na sala de jantar, que pertenceram à coleção Paula de Koenigsberg, de Buenos Aires. São portas de sacristia, um cadeiral de coro, um arcaz e uma boiserie, transformada em vitrine, onde está exposta a coleção de prataria inglesa. Do século 17 e 18, algumas mesas e a papeleira decorada com chinoiseries.

As artes decorativas estão nas placas de esmalte de Limoges. A mais importante é uma montagem com doze medalhões representando as Sibilas, espécie de profetisas da antiga Grécia, todas elas nomeadas, tendo a Sibila Europa, na cintura, o LL. identificando a autoria de Léonard Limosin (1550-1625), famoso esmaltador. Ainda fazem parte da coleção francesa objetos de porcelana, serviços de jantar de Sèvres e Limoges, caixinhas de metal e tartaruga, moedas, lustres de cristal Baccarat e os relógios estilo Luís XIV e Luís XVI.